Eventos‎ > ‎

Luzofonija 2018, 27-9-2018 Ljubljana

posted Sep 27, 2018, 2:36 AM by Revista Sardinha   [ updated Sep 27, 2018, 2:39 AM ]




L2018


A #Sardinha convida à exposição do fantástico pintor Eduardo Bentub na Kavarna Soteska (Soteska 8, Ljubljana) na próxima quinta-feira, dia 27.9.2018 às 19.00. Irá dar o início aos dias da #Festa da #Lusofonia em #Ljubljana, nesta 3ª edição dedicada a Cabo Verde. O Eduardo fará também parte da tão esperada #Sardinha18 que será lançada por esta altura. A exposição fica até 25.10.2018, com entrada livre. Fica o convite vê-mo-nos lá. Abraço e até breve :)




Our magazine #Sardinha invites the exhibition of the fantastic painter Eduardo Bentub at Kavarna Soteska (Soteska 8, Ljubljana) on 27.9.2018 at 7.00 pm. It will kick off the days of the #Lusofonia #Festival in #Ljubljana, in this 3rd edition dedicated to Cape Verde. Eduardo will also be part of the long-awaited # Sardinha18 that will be released by this time. The exhibition is until 25.10.2018, with free admission. That's the invitation, see you there. Hugs and see you soon :)











Palavras para Edu  (Omar Camilo)


O mágico vai entrelaçando traços em silêncio. Um galo viril canta em todas as madrugadas destas figurativas tintas. Parece um “descuido” amar a terra, o incontornável magnetismo das crioulas, ou grito sedutor e inofensivo das montanhas, parece um belo “descuido” deixar-se fugir dos bordes das cores que falam mais altos, mas muito mais altos, que sei lá, deve ser o efeito tardio da maresia que os ilhéus levamos onde for.

1979.

A Dama de Ferro Thatcher sobe ao poder.

Se estreia o filme “Apocalypse Now”.

Foucault criava a biopolítica.

IKEA criava a “Livraria Billy”.

Sony lançava o “Walkman” 

Nascia este fazedor de poesia fora dos limites de si mesmo, este alquimista de cores que encerram outras cores como se o assunto fora outra além do que se “diz”. Gosto dessa liberdade nos traços irreverentes e descomprometidos de Edu, afinal a coisa esta aí, entre rochedos e a breve espuma atlantina das maus do bruxo, viajar nas suas telas é viajar numa montanha russa de emoções, o universo imaginativo deste gajo é viril, é seguro, é frontal sem deixar de ser grato e até delicado com a sua própria história, este crioulo, este homem, este artista, como diria o imenso Polo Montañes, es “um guajiro natural” e a sua obra confirma sem espaço a duvida esse seu belíssimo universo natural.
Comments